Pastor Ailton Pesanha, esposa e filhas

Família que faz parte da Assembléia de Deus Central de Itaperuna

Culto em Família

Cultive a união em sua família através da palavra de Deus

A Vitória da Vida

Nem sempre o que mais corre a meta alcança

Casamento à Prova de Balas

Veja a pregação completa com o Pastor Cláudio Duarte

quarta-feira, 9 de março de 2016

Perdão e Reconciliação na família

Celebração noturna na igreja do Relógio
Ministrando a Palavra: missionária Rosilane Pessanha

Base Bíblica: Gênesis 25
23E o SENHOR lhe disse: Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas: um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor.
Esse versículo retrata a passagem de dois bebês gêmeos, nascidos através da oração de seu pai Isaque. Deus respondeu a oração, permitindo Rebeca está grávida, através de uma promessa. Rebeca percebeu de forma muita clara o que Deus havia dito. Ela sentiu os gêmeos lutando em seu ventre. A promessa de Deus era o menor servir o maior, o mais velho servir o mais novo. Raquel nitidamente sentia em seu coração o que Deus havia dito. E passou analisar os filhos crescendo, com hábitos tão distintos. E essas diferenças fez a mãe gostar mais de Jacó, e o pai mais de Esaú. A divisão não foi foi apenas com os irmãos, mas aconteceu no coração dos pais. A preferência estava clara no ambiente familiar, fazendo os filhos perceberem. Que brecha maligna!!! Acontece sutilmente, como uma pequena ranhura, que aumenta conforme a pressão que vai impulsionando, e enfim forma uma rachadura, até o rompimento por completo. Várias atitudes foram tomadas, com intuito de fazer acontecer a promessa de Deus. Raquel enganou o marido Isaque e o filho Esaú, estimulando o erro de Jacó. O rompimento de fato ali aconteceu, causando muita dor e amargura, e o forte desejo de matar um ao outro. Jacó teve que fugir para não morrer. Raquel teve que suportar a ausência de seu querido filho. Devemos vigiar os sentimentos que brotam no nosso coração, e filtrar-los a luz da Palavra de Deus. Não podemos permitir que o inimigo plante a raiz de amargura em nossa família. Observamos várias gerações, em uma mesma família deixando essa raiz florescer e dar frutos malignos. Se passamos por essa situação devemos em nome de Jesus cortar essa amargura, usando a arma certa, que é a do perdão. Jacó teve o seu momento de corrigir seus erros. Começou com um encontro com Deus, e após em humilhação o pedido de perdão. Toda a situação entregue a Deus, é passível de total transformação. O nosso Deus vai onde não podemos. Viver em unidade em nossa família depende de nossas atitudes. Devemos buscá-las e trabalhar em oração e atitudes. Podemos sim, mudar o rumo que tem levado as nossas vidas e a nossa família. O medo surgiu no coração de Jacó, ao ter que tomar atitudes. Mas ao encontrar com Deus somos encorajados a fazer o que é certo, mesmo paralisado com o medo. Se Deus tem nos conduzido à fechar brechas em nossos relacionamentos, sigamos, pois o Deus de Jacó estará conosco.
Jacó ao encontrar com o seu irmão Esaú, foi abraçado. Que momento lindo!!! Deus restaurou aquele relacionamento. Houve arrependimento, mudança de vida e nome. Deus permitiu que Jacó chegasse a um ponto que desejasse muito a benção. Nós não precisamos chegar a esse estágio, pois a Palavra de Deus tem nos ensinado e confrontado. Mas se chegarmos a esse ponto, vamos lutar por toda uma noite, pois o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Escolha, viver a UNIDADE em sua FAMÍLIA em 2016. Fique na Paz!  Resenha de Prª. Lucinéia Lessa

⭐O que é ser um bom cristão, uma pessoa transformada?"

Culto de Ensino na Igreja do Relógio
Ministrando a Palavra: Pr. Lessa Júnior
19/02/2016
Base Bíblica: Provérbios 4
10Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se te multiplicarão os anos de vida.
11No caminho da sabedoria, te ensinei e, pelas carreiras direitas, te fiz andar.
12Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e, se correres, não tropeçarás.
13Pega-te à correção e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.
14Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus.
15Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo.
16Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono, se não fizerem tropeçar alguém.
17Porque comem o pão da impiedade e bebem o vinho das violências.
18Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.

O que é ser um bom cristão, uma pessoa transformada?
A Bíblia nos fala que não devemos conformar com esse mundo, mas devemos transformar pela renovação do vosso entendimento. O apóstolo Paulo nos chama para responsabilidade. Sabemos que a transformação não vem pelo nosso mero esforço, mas com a ajuda da ação do Espírito Santo em nossas vidas. Há uma entrega para que de fato haja transformação. O convite é claro, em salmos 37, nos convida a deleitar no Senhor, que Ele concederá o que deseja o nosso coração. Deleitar é tão profundo, e requer tanta obediência, que há momentos que até obedecemos, mas sem entender. Sentir e ter os mesmos desejos que o Senhor, demonstra que o nosso coração está sintonizado com o coração Senhor. É um relacionamento de confiança, obediências às cegas. E ter a certeza que Deus fará o melhor por nós, mesmo que não visualizamos no momento presente. Deus na sua onisciência, conhece o presente e o futuro. Entender Deus não é fácil, mas podemos nos deixar ser conduzidos refletindo alegria, que será luz ao mundo. Chegará um dia que seremos como dia perfeito, afinado com o Senhor. Que nosso processo de amadurecimento, em santificação seja crescente em nós. O segredo é ouvir o conselho de Deus, colocando em prática, demonstrando a total confiança no Senhor.

Celebração Dominical na Igreja do Relógio
Ministrando a Palavra: Evangelista Dayvison Aquino

Base Bíblica: João 12
Tema: Em tempos de crise creia, em tempos de crise tenha fé .
20-Ora, havia alguns gregos entre os que tinham subido a adorar no dia da festa.
21-Estes, pois, dirigiram-se a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e rogaram-lhe, dizendo: Senhor, queríamos ver a Jesus. 
22-Filipe foi dizê-lo a André, e, então, André e Filipe o disseram a Jesus.
23-E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do Homem há de ser glorificado.
 24-Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto. 
25-Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem, neste mundo, aborrece a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. 
26-Se alguém me serve, siga-me; e, onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.
27-Agora, a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isso vim a esta hora. 
28-Pai, glorifica o teu nome. Então, veio uma voz do céu que dizia: Já o tenho glorificado e outra vez o glorificarei.
A vida de Jesus, homem, que viveu 33 anos aqui na Terra, foi notável. Que exemplo ele nos deixou. Inspirou muitos em sua trajetória, e até nos dias atuais tem influenciado cristão e não cristão. Esse trecho das escrituras narra um momento peculiar desse homem. Diante do sacrifício, ele se perturba. Lúcifer, criado para a glória de Deus, se revolta e revelia contra Deus. Judas foi o elo fraco entre os discípulos de Jesus, e através dele houve a traição.
Davi nos mostra, apesar de todos os seus pecados, sua reação positiva diante das crises. Alguns Salmos relatam Deus se inclinar em relação a Davi, demonstrando a postura de submissão.
Jesus diante de sua crise, foca na sua missão. A Bíblia conta a história de Jó, e as suas sucessivas crises, que o faz perder tudo. Jó perde seus bens, seus animais, seus empregados, seus filhos e sua saúde. Jó diante da morte de seus filhos, rasga suas vestes, e diz em voz alta, nu sai do ventre da minha mãe, nu voltarei. Apesar de todas essas crises, Jó venceu. Jó oferecia sacrifícios a Deus pelos seus filhos. Jó dizia a Deus, se porventura algum dos meus filhos tiver pecado os perdoa. Observamos que Jó não esperou a crise chegar para interceder. Aprendemos com essa atitude que Jó tinha estratégia, e podemos também aplicar em nossa vida. Essa história é tão importante que foi o primeiro livro a ser escrito na Bíblia.
Nos momentos de crise, há mais reflexão. Um olhar interno, que pode gerar em nós atitudes melhores. A nossa paciência é gerada nesses momentos.
Jesus é confrontado com a cruz. Ali ele é mais um. Um bandido de alta periculosidade. E nós diante da nossa cruz, como reagimos??? Jesus levou à sua missão até o fim. E nós diante de realidades tão semelhantes, o que faremos??? Temos tido foco em nossa missão??? Saber o que Deus quer de nós, nos fará seguir com a nossa missão. Confie no Senhor, e se caso se sentir perturbado faça como Jesus, siga o seu exemplo e viva em UNIDADE com Deus.
Resenha de Pr. Lucinéia Lessa

terça-feira, 16 de junho de 2015

COMUNHÃO E RELACIONAMENTO COM O ESPÍRITO SANTO - PR LUCIANO SUBIRÁ - 2546

Precisamos estar em comunhão constante com o Espirito Santo